Obrigado por está aqui....

Nenhuma descrição de foto disponível.
Postado Por: Claudio Mendes
Data da Publicação: 29 de outubro de 2018
Fonte: Redação Com Informações da Agência Maranhão de Notícias
Oficina sobre o BPC é concluída em Zé Doca. (Foto: Divulgação)
O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (Sedes), está promovendo em todos os 217 municípios maranhenses uma ação emergencial voltada para todos aqueles que são favorecidos com o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A meta é garantir que as famílias que recebem o recurso no valor de R$ 954 por mês estejam devidamente registradas no Cadastro Único (CadÚnico) até o dia 31 de dezembro, caso contrário o benefício será bloqueado automaticamente em 1° de janeiro de 2019.

De acordo com a secretária adjunta de Renda e Cidadania (Sarc) da Sedes e coordenadora estadual do programa Bolsa Família, Ana Gabriela Borges, a ação consiste na realização de oficinas técnicas junto aos gestores municipais, no intuito de buscar estratégias para a realização do Busca Ativa.

“O nosso objetivo é planejar, em parceria com os municípios, ações e estratégias para identificar e localizar esses beneficiários do BPC que ainda não estão cadastrados no CadÚnico e orientá-los sobre a necessidade da inclusão de seus dados no Sistema, para que o recurso não seja bloqueado. E esclarecer, ainda, para aqueles que já possuem registro, qual a importância da atualização cadastral”, explicou Gabriela.

As oficinas, que também contam com o apoio do Instituto Nacional do Seguro Nacional (INSS), estão sendo realizadas nos municípios. Jayne Mayra Costa, que integra a equipe de técnicos da Secretaria de Renda e Cidadania da Sedes, informou que durante a oficina em Zé Doca, os 64 participantes compuseram uma roda de conversa, onde puderam esclarecer dúvidas e compartilhar com os demais os problemas mais comuns vivenciados por eles.

“O que mais nos chamou a atenção, em relação às dificuldades expostas pelo município, foi o fato de que muitos beneficiários do BPC não se identificam como tal. Pois muitos, pela falta de informação, acreditam que o recurso chega como uma espécie de aposentadoria ou como Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural)”, pontuou Jayne.

Ainda segundo a técnica da Sarc, há uma maneira simples dos beneficiários do BPC realizarem essa auto identificação. “Sempre destacamos que o Benefício de Proteção Continuada, diferente dos outros programas de proteção social, não possui parcela de décimo terceiro salário. A partir dessa informação, as famílias poderão procurar a unidade do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) mais próxima de sua residência e buscar mais detalhes sobre o benefício recebido”, disse ela.

Sobre o BPC 

O Benefício de Prestação Continuada (BPC) garante um salário mínimo mensal ao idoso acima de 65 anos ou à pessoa com deficiência de qualquer idade com impedimentos de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, que a impossibilite de participar de forma plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas.

0 Comentários