sábado, 3 de março de 2018

Secretaria de Estado de Administração Penitenciária em Nota se Manifesta sobre obra em Cururupu

Seap se pronuncia sobre obra em Cururupu (Foto: Reprodução)
A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), se manifesta em nota com relação à matéria do ICURURUPU que trata da obra nas imediações da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR), de Cururupu.

Na matéria o ICURURUPU relata a preocupação dos cururupuenses com a clara possibilidade do esgoto da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR), de Cururupu ser jogado diretamente no Rio Cururupu sem o devido tratamento.

Diz ainda a matéria que a preocupação dos cururupuenses é em razão de uma obra que está sendo executada na unidade prisional, durante muito tempo o esgoto da referida unidade jorrou em uma das principais rua da cidade, após muitas reclamações, foi dado início às obras de drenagem dos dejetos.

O Rio Cururupu é talvez o principal Rio do município, com forte tradição pesqueira e de navegação para diversas Ilhas do município, soma-se à este, o Rio Uru- mirim, Rio Grande, Igarapé-Açu e o Rio Liconde, além destes, a região é repleta de nascentes que se interligam para formar os cursos d’água principais. Preservar o meio ambiente é um ato importante não só para a humanidade, mas para todos os seres que habitam a Terra. Afinal, é nele que estão os recursos naturais necessários para a sua sobrevivência, como água, alimentos e matérias-primas. Sem esses recursos, todas as formas de vida do planeta poderão acabar. Não podemos esquecer que o Rio Cururupu está dentro da Reserva Extrativista (Resex), reserva esta que possui 185 mil hectares de zona costeira e marinha na região conhecida como Reentrâncias Maranhenses. Abriga cerca de 4 mil pessoas distribuídas em várias comunidades. A grande maioria dos moradores sobrevive da pesca. Além da área continental, o território da reserva engloba arquipélago com treze ilhas. Ela é reconhecida, por isso, como sítio Ramsar, zona úmida de importância global. A unidade de conservação foi criada em 2004 para proteger o modo de vida dos nativos Maiaú e o uso sustentável desse ambiente cheio de vida natural. Os Maiaú são donos de uma das maiores variedades de artes de pesca do país. Na vazante das marés usam redes fincadas no fundo das enseadas e canais.

Em nota enviada ao ICURURUPU, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), esclarece que as obras de saneamento em questão tem como finalidade o correto despejo de água tratada no Rio Cururupu, diz ainda que o projeto foi devidamente aprovados pelas partes técnicas. A nota ainda esclarece que houve uma reunião na presença de autoridades locais onde a gestão prisional assegura que o tratamento do esgoto está garantido pelo uso de filtros anaeróbicos.
Confira a nota na íntegra

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) esclarece que as obras de saneamento, em curso nas imediações da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) de Cururupu, têm como finalidade o correto despejo de água tratada no rio que dá nome à cidade; uma vez que o projeto desenvolvido pela equipe de engenharia da Seap e da empresa contratada foi apreciado e aprovado pelas partes técnicas.

Após reunião extraordinária, realizada em sessão solene em 22 de fevereiro de 2018, no Fórum Desembargador José Pires Sexto, com participação da Prefeitura Municipal, do juiz da Comarca, da Procuradoria, Empresa de Engenharia e Câmara de Vereadores, a gestão prisional assegura que o tratamento do esgoto está garantido pelo uso de filtros anaeróbicos, cuja eficácia foi confirmada por engenheiros técnicos.

Por fim, diante da carência histórica da população por serviços de saneamento básico; e da completa idoneidade da documentação que dispõe sobre a intervenção, a Seap por sua vez não mediu esforços para solucionar o problema existente.

Fonte: Icururupu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BLOG DO CLAUDIO MENDES.....