quinta-feira, 1 de março de 2018

Obra de esgoto em unidade prisional de Cururupu preocupa moradores

Obra de Esgotamento Sanitário da UPR de Cururupu (Foto: ICURURUPU)







O ICURURUPU tem recebido nos últimos dias diversas reclamações que denota a preocupação dos cururupuenses com a clara possibilidade do esgoto da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR), de Cururupu ser jogado diretamente no Rio Cururupu sem o devido tratamento.

A preocupação dos cururupuenses é em razão de uma obra que está sendo executada na unidade prisional, durante muito tempo o esgoto da referida unidade jorrou em uma das principais rua da cidade, após muitas reclamações, foi dado início à obra de drenagem dos dejetos, o que parecia uma solução para um velho problema está tirando o sono dos que se preocupam com a situação. 

Durante a visita no local não foi possível identificar a instalação de qualquer sistema de tratamento dos dejetos da unidade prisional, o que não significa que não exista, razão pela qual aumenta a preocupação das pessoas que procuraram o ICURURUPU. 

Em cidades urbanas que crescem progressivamente, o escoamento adequado do esgoto é sempre uma problemática em discussão, em Cururupu nesse momento não é diferente, pois caso o Rio Cururupu seja usado para despejo de dejetos não tratados irá representar um sério problema para a cidade, especialmente para aqueles que vivem da pesca do Rio, bem como para as milhares de vidas marinhas existentes.

É necessário que o cidadão, indústrias e governos façam a sua parte na tentativa de preservar o meio ambiente, se faz necessário tomarmos consciência da importância do Rio Cururupu para a existência dos cururupuenses. Isso pode ser atingido por meio do descarte correto dos dejetos em geral e saneamento básico que atendam a legislação vigente. Dessa forma, o meio ambiente será preservado. Assim, será possível ter mais saúde e acesso aos recursos necessários para a sobrevivência de todos.

O Rio Cururupu é talvez o principal Rio do município, com forte tradição pesqueira e de navegação para diversas Ilhas do município, soma-se à este, o Rio Uru- mirim, Rio Grande, Igarapé-Açu e o Rio Liconde, além destes, a região é repleta de nascentes que se interligam para formar os cursos d’água principais.

Preservar o meio ambiente é um ato importante não só para a humanidade, mas para todos os seres que habitam a Terra. Afinal, é nele que estão os recursos naturais necessários para a sua sobrevivência, como água, alimentos e matérias-primas. Sem esses recursos, todas as formas de vida do planeta poderão acabar.

Não podemos esquecer que o Rio Cururupu está dentro da Reserva Extrativista (Resex), reserva esta que possui 185 mil hectares de zona costeira e marinha na região conhecida como Reentrâncias Maranhenses. Abriga cerca de 4 mil pessoas distribuídas em várias comunidades. A grande maioria dos moradores sobrevive da pesca. Além da área continental, o território da reserva engloba arquipélago com treze ilhas. Ela é reconhecida, por isso, como sítio Ramsar, zona úmida de importância global.

A unidade de conservação foi criada em 2004 para proteger o modo de vida dos nativos Maiaú e o uso sustentável desse ambiente cheio de vida natural. Os Maiaú são donos de uma das maiores variedades de artes de pesca do país. Na vazante das marés usam redes fincadas no fundo das enseadas e canais.

Com a criação da reserva, a tradição na arte de pescar e a exuberância natural do arquipélago começaram a ser defendidas pelos próprios nativos. Eles foram reconhecidos pelo governo brasileiro como donos do território, tendo obtido por parte do ICMBio a Concessão de Direito Real de Uso (CDRU) para usufruto de suas terras.

O ICURURUPU tentou por diversas vezes contato com o Secretário Municipal de Meio Ambiente e Turismo, Gilberto Fonseca, porém não nos atendeu e nem retornou nossas ligações para que pudesse se posicionar sobre o caso. Tentamos ainda contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Cururupu que também não nos atendeu e não retornou nosso contato. Já a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Segurança Pública nos prometeu localizar os responsáveis pela obra para que pudesse se posicionar sobre a denúncia.