terça-feira, 28 de novembro de 2017

CURURUPU: Comarca Encerra Mês Nacional Do Júri

Fórum Desembargador José Pires Sexto em Cururupu (Foto: Reprodução)
O Fórum da Comarca de Cururupu encerrou a participação no Mês Nacional do Júri, com a realização de seis julgamentos no período de 20 a 22 de novembro. As sessões tiveram a presidência do juiz titular Douglas Lima da Guia e aconteceram no auditório da Secretaria Municipal de Saúde de Cururupu, localizada na Rua Ático Seabra, s/n, no Centro.

No dia 20 de Novembro os réus foram Jefferson Silva Alves, vulgo “Pé de Mola”, acusado de tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil e mediante dissimulação, e Abimeleque Silva Ferreira, vulgo “Meleque”, acusado de homicídio duplamente qualificado cumulado com tentativa de roubo majorado. Conforme informações da secretaria judicial, os dois foram condenados pelo Conselho de Sentença recebendo, respectivamente, as penas de 14 anos de reclusão e 19 anos e 6 meses de reclusão, ambas devendo ser cumpridas inicialmente em regime fechado.

No dia 21 de Novembro sentaram no banco dos réus Edvan Lopes Pinto, vulgo “Papo” e Ivoneio Reis Santos, vulgo “Seu Neio”, ambos acusados de tentativa de homicídio qualificado com o uso de arma branca (facão). O primeiro, que foi patrocinado pelo advogado constituído Dr. Armstrong Lemos, foi condenado a uma pena de 7 anos e 6 meses de reclusão, no regime semiaberto, pena idêntica ao do segundo réu, igualmente condenado, que foi patrocinado pelo advogado constituído Dr. Arcy Fonseca Gomes.

No dia 22 de Novembro, último dia da 3ª Reunião Anual, foi submetido a julgamento popular o acusado Idarlilton da Cruz Silva, por tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil, sendo condenado, por maioria de votos, a pena de 14 anos de reclusão, a ser cumprido no regime fechado. Na segunda sessão, ocorrida no mesmo dia, foram julgados os irmãos Elivaldo Diniz, vulgo “Iú” e João Batista Diniz Mafra, vulgo “Lambau”, sendo tão somente o primeiro condenado a pena de 8 anos do regime fechado e o segundo absolvido por maioria de votos.

“A realização desses júris visa a atender aos objetivos da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp) e do Conselho Nacional de Justiça que instituíram novembro como o Mês Nacional do Júri, recomendando que tribunais e juízes de todo o país, em parceria com promotores e advogados, coordenem esforços para realização de Tribunais do Júri preferencialmente no decorrer desse mês”, relatou Douglas da Guia.

“Só para constar, no ano de 2017 foram realizadas aqui na Comarca de Cururupu 24 (vinte e quatro) sessões do Tribunal do Júri, concentradas em 3 reuniões, ocorridas nos meses de Abril, Agosto e Novembro”, finalizou o magistrado.